Posts

O crescimento do e-commerce brasileiro têm sido constante, com números cada vez mais expressivos ano a ano. Em 2019, as vendas virtuais realizadas de janeiro a dezembro no Brasil somaram faturamento de R$ 75,1 bilhões, alta nominal de 22,7% em relação ao ano de 2018. As informações são do relatório NeoTrust, que analisa o varejo digital trimestralmente com base em dados coletados pelo Compre & Confie, empresa de inteligência de mercado focada em comércio eletrônico.

De acordo com o estudo, o poder aquisitivo do consumidor não variou significativamente no período: o valor médio das compras realizadas foi de R$ 420,40 (incremento de apenas 0,2% em relação ao ano anterior). Portanto, a alta significativa está relacionada principalmente ao volume de pedidos realizados: em 2019, foram feitas 178,5 milhões de compras, valor que representa aumento de 22,5% em relação a 2018.

“O ano de 2019 foi de forte recuperação para o varejo digital. Registramos diversos fatores que impulsionaram o crescimento, com destaque para consolidação do modelo de marketplace no país, maior integração multicanal, além do aumento do número de consumidores que realizaram pelo menos uma compra virtual”, afirma André Dias, diretor executivo do Compre & Confie.

Ainda segundo o estudo, o público feminino foi responsável por 52,1% dos pedidos de compra feitos no país durante o ano de 2019. Apesar de comprar mais, as mulheres gastaram menos: o gasto médio foi de R$ 371,70 por compra, enquanto os homens gastaram R$ 473,60 em média.

Segmentando todos os consumidores por faixa etária, é possível perceber que os que têm entre 36 e 50 anos realizaram o maior volume de compras (33,6% do total dos pedidos feitos durante o ano). Logo atrás, estão os que têm entre 26 e 35 anos, com 31,8% das compras. Por fim, estão aqueles de até 25 anos (19,5%) e aqueles com mais de 51 anos (15,1%).

Na análise por região, é possível notar que o Sudeste é responsável pela maior parte dos pedidos realizados. Durante o ano de 2019, 66,2% das compras feitas em território nacional vieram desse local. Entretanto, embora o Nordeste ainda represente 11,9% das vendas no comércio eletrônico brasileiro, é a região que apresentou um crescimento maior nas vendas de 2019 em relação a 2018.

Em seguida, estão as regiões Sul (14,1%) e Nordeste (11,9%). Por fim, Centro-Oeste e Norte completam o ranking, com 5,8% e 2% do total de compras realizado, respectivamente.

Outro crescimento importante está no número de consumidores únicos (aqueles que realizaram ao menos uma compra virtual no ano). Em 2019, este público aumentou 40,6% em relação a 2018, chegando a 31,4 milhões de pessoas.

O Compre & Confie estima que as compras virtuais gerem faturamento de R$ 90,7 bilhões em 2020, crescimento de 21% em relação a 2019. O aumento deve estar relacionado tanto ao número de pedidos – que deve ser de 210,8 milhões, aumento de 18% – quanto ao maior gasto dos consumidores. A companhia estima que o tíquete médio deve aumentar 2%, chegando aos R$ 430.

“Alguns fatores que explicam o otimismo do brasileiro com o comércio virtual em 2020 são programas de fidelidade mais atraentes, melhor experiência através de dispositivos móveis e, principalmente, preços extremamente atrativos devido a recuperação econômica e inflação sobre controle”, conclui Dias.

Nós da Felipetto Marketing oferecemos todas as condições para empresas e pessoas físicas entrarem nesse jogo. Desenvolvemos sua loja, treinamos sua equipe, fazemos a gestão de tráfego para que sua loja gere vendas, damos consultoria e suporte técnico para que sua operação de e-commerce comece corretamente e cresça de maneira sustentável.

Comércio Eletrônico não é o futuro, é o presente. Se sua empresa ainda não está vendendo online, será engolida pela concorrência. Não é uma questão de “SE” mas de “QUANDO” isso irá acontecer. Se você ainda está preso à CLT, infeliz e sem perspectiva de crescimento, o comércio eletrônico pode ser a porta de entrada para um mundo de realizações pessoais e evolução financeira, mesmo que você não tenha grande capital para investir inicialmente.

Pare de ser um expectador desta revolução comercial que vivemos hoje. Seja o protagonista de sua própria história de mudança e alce vôos mais altos!

O e-commerce brasileiro vem crescendo de maneira muito sólida ano após anos e a cada dia surgem novas lojas vendendo produtos e serviços online. Muitas pessoas querem entrar nesse mercado mas não sabem por onde começar e neste artigo mostraremos de forma simples e resumida, o que é preciso para montar sua loja virtual. Também apresentaremos uma estimativa de custos para cada item da lista.

Checklist para montar uma loja virtual

  • Comprar o domínio (endereço da loja na web);
    Custa R$ 40,00 por ano para domínios nacionais (terminados em “.br”) e cerca de USD 10 por ano para domínios internacionais.
  • Contratar hospedagem para o site e para os emails;
    A hospedagem de emails custa cerca de R$ 30,00 por mês.
    A hospedagem dos arquivos do site custa cerca de USD 20 por mês.
  • Contratar adquirente ou subadquirente para os pagamentos (boleto e cartões);
    Entre 2% a 5% do valor da venda por cartão de crédito e entre R$ 2,00 e R$ 4,00 por boleto pago.
  • Contratar a plataforma da loja;
    Custa entre R$ 2.000,00 e R$ 200.000,00, dependendo do tamanho da loja e funcionalidades que necessita.
  • Possuir identidade visual (logotipo e estilo de comunicação que orientará o design do site);
    Custa entre R$ 200,00 e R$ 2.000,00.
  • Um bom plano de marketing digital;
    OK você está construindo uma bela casa (seu site) para receber os visitantes, mas agora precisamos convidá-los a entrar. E o marketing digital é o caminho.

Opcionais

  • Contrato corporativo com correios e/ou transportadoras;
  • ERP online integrado à sua plataforma de e-commerce;
  • Hub de Integração com marketplaces;

Dicas

  • Ao escolher o nome da sua loja, consulte a disponibilidade dos domínios “.com.br” e “.com”. Uma boa pedida é consultar a disponibilidade de perfis em redes sociais com o nome exato da sua loja e domínio.
  • Acho um nome bacana que ainda não possui registro de marca, de domínio e de perfis em redes sociais? Então corra e garanta-o para você reservando-o em todos esses locais antes que alguém o faça.

Pré-requisitos

Este checklist parte do pressuposto que:

  • Você já fez um plano de negócios para verificar a viabilidade econômica da sua loja virtual;
  • Os produtos a serem comercializados já foram adquiridos ou já possui acordo com fornecedores confiáveis;
  • A equipe detrabalho e infraestrutura já estão definidas;
  • A empresa por trás da loja foi aberta ou já existia;
  • Os tributos que irão inferir na comercialização foram considerados nos custos da operação.
  • Os preços dos produtos a serem comercializados já estão formatados.

A versão 56 do navegador Google Chrome, prevista para ser lançada no dia 31/01/2017, trará um novo recurso de segurança que irá causar enormes prejuízos a muitos websites despreparados. Trata-se de um aviso na barra de endereços dizendo que o site não é seguro caso este não tenha certificado SSL instalado. O aviso será mostrado apenas nas páginas que contenham campos de formulário para digitação de cartão de crédito ou qualquer tipo de senha, incluindo páginas de login diversas.

Isso obviamente causará enorme impacto negativo naqueles sites que não possuem o certificado de segurança SSL instalado pois o comportamento normal dos visitantes é assustar-se com esse tipo de aviso e sair do site sem concluir sua navegação.

Google quer que todos os sites tenham certificado SSL

Já avisamos há algum tempo sobre a preferência do Google por sites com certificado de segurança em todas as páginas e de como a empresa têm favorecido estes sites em seu ranking orgânico (resultados de busca não pagos). Este é com certeza mais um passo da gigante da internet nesse processo de tornar a web mais confiável.

Nossos clientes podem ficar tranquilos, pois todas as lojas virtuais desenvolvidas pela Felipetto Marketing Digital já possuem certificado SSL em todas as páginas desde antes do Google adotar essa política. Afinal, parte do nosso trabalho é prever alterações significantes nas ferramentas digitais e adequar os canais de relacionamento e vendas de nossos clientes às novas realidades antes mesmo que aconteçam.

Fonte: Wordfence

O site Built With divulgou no comecinho de janeiro de 2017 uma lista das plataformas de e-commerce mais utilizadas no Brasil. Sem surpresas, o WooCommerce – que é líder mundial disparado – lidera também no mercado nacional com larga vantagem sobre a concorrência.

felipetto marketing blog as plataformas de ecommerce mais usadas no brasil

Nossa agência optou por usar o WooCommerce como plataforma para as lojas virtuais de nossos clientes e cada vez mais essa tem se mostrado uma escolha super acertada. Escalonabilidade, praticidade, robustez e custo x benefício são as maiores vantagens apontadas pelos lojistas que utilizam o Woo.,

Veja algumas lojas desenvolvidas em WooCommerce clicando aqui.

Fonte: Ecommerce usage in brazil

O site WP Tavern publicou uma pesquisa comprovando mais uma vez o WooCommerce como plataforma de ecommerce mais utilizada no mundo. Segundo esta pesquisa atualmente 42% de todas as lojas virtuais no mundo são “motorizadas” pelo sistema open source baseado em WordPress.

Shopfy e Magento vêm em segundo e terceiro lugares, respectivamente, com 6% e 5%.

felipetto marketing blog 42porcento das lojas utilizam woocommerce 1

Dentre as vantagens do WooCommerce em relação à concorrência, destacam-se a facilidade de implementação, com milhares de temas, plugins e módulos de extensão. A curva de aprendizado também é bastante suave se comparada ao Magento, por exemplo. Outro ponto fortíssimo da plataforma é sua escalonabilidade, permitindo que pequenas lojas cresçam exponencialmente em recursos e funcionalidades sob demanda mesmo no ambiente de produção (no ar, sem parar de funcionar).

Estes e outros motivos nos levaram a escolher WooCommerce para nossas lojas.

Lojas Virtuais em WooCommerce

Fonte: WooCommerce Powers 42% of All Online Stores

Tem início hoje, dia 27/05/2015, no Hotel One World, em Kuala Lumpur, Malaysia, o 5TH ASIA ECOMMERCE CONFERENCE 2015, evento que reúne gigantes do comércio eletrônico mundial como Ebay, Alibaba, Zara, P&G, Facebook, Groupon e Paypal. O que mais chama a atenção neste evento é o WooCommerce não apenas como participante mas como um dos patrocinadores do evento. WooCommerce é hoje a plataforma de e-commerce mais utilizada no mundo, a que mais cresce em número de usuários, uma das que mais evolui em volume de negócios e a que tem a maior base de desenvolvedores. Não à toa cada vez mais empresas apostam suas fichas na versatilidade e estabilidade da plataforma open source escolhida por nós para desenvolver as lojas de nossos clientes.

Vejam algumas lojas que desenvolvemos utilizando WooCommerce:

Institucional + loja online: Vivo Confecções

Loja Online varejista: Multcaps

Loja online atacadista: Gelo Alasca